31/03/2010 Cruzeiro 3x0 Vélez Sarsfield

sábado, 22 de abril de 2017

video

Cruzeiro 3x0 Vélez Sarsfield
Motivo: 5ª rodada da fase de grupos da Copa Santander Libertadores
Data: 31/03/2010 (quarta-feira)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Público: 43.374 pagantes
Renda: R$ 839.118,90
Gols: Thiago Ribeiro, aos 32 min. do 1º tempo; Kleber, aos 3 min. e 8 min. do 2º tempo
Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva (Gil) e Diego Renan; Fabinho, Henrique, Marquinhos Paraná e Gilberto (Fabrício); Thiago Ribeiro (Wellington Paulista) e Kleber
Técnico: Adilson Batista
Vélez Sarsfield: Montoya; Díaz (Lima), Domínguez, Otamendi e Papa; Cubero, Somoza, Zapata e Moralez (Cabrera); López (Martínez) e Santiago Silva
Técnico: Ricardo Gareca
Cartões amarelos: Gilberto e Kleber (Cruzeiro); Santiago Silva e Lima (Vélez Sarsfield)
Cartão vermelho: Somoza (Vélez Sarsfield)





Em clima de decisão, o Cruzeiro não deu chance para o Vélez. No primeiro tempo, Thiago Ribeiro conseguiu superar a forte marcação dos argentinos e abriu o placar aos 32min. Na etapa final, ele serviu o parceiro Kléber, que ampliou aos 3min e aos 9min.

Além de dar o troco no time argentino, que o venceu em Buenos Aires por 2 a 0 na abertura da fase de grupos, o Cruzeiro o desbancou da liderança. Com a vitória, o time celeste chegou aos mesmos dez pontos que o Vélez, mas leva vantagem no saldo de gols. São seis gols contra um do adversário.

A vitória desta quarta-feira foi fundamental para a equipe mineira chegar à última rodada, contra o Colo-Colo, em Santiago, sem estar pressionado para decidir uma vaga à próxima fase. Antes de encarar o Cruzeiro, o time chileno, que está com quatro pontos, enfrenta o lanterna Deportivo Itália na próxima terça-feira (6) e pode chegar a sete.

Na última rodada o Vélez enfrenta o eliminado Deportivo Itália em Buenos Aires. Se vencer, chegará a 13 pontos e deve se classificar às oitavas de final. Pelo regulamento deste ano, apenas os campeões de cada grupo e os seis melhores segundos colocados avançam à próxima fase.

O jogo

O Cruzeiro não deu chance ao adversário e tomou conta do primeiro tempo. Assim que a bola rolou no Mineirão, o time mineiro encurralou o Vélez, que adotou uma postura defensiva e tentou surpreender nos contra-ataques. Porém, pouco chegou ao gol de Fábio.

Depois de forte pressão e chances perdidas, o Cruzeiro abriu o placar aos 32min. Em jogada individual, Thiago Ribeiro, que passou por vários adversários, levou para a entrada da área e chutou de perna direita para marcar um bonito gol no Mineirão.

Em desvantagem no placar, o Vélez ensaiou uma reação e criou algumas jogadas, mas nada que assustasse a defesa celeste. O Cruzeiro não se acomodou depois do gol de Thiago Ribeiro e teve chance para ampliar. Aos 44min, Jonathan chutou forte de dentro da área, porém Montoya conseguiu segurar a bola.

Logo depois de sair à frente, o Cruzeiro sofreu uma baixa na defesa. O zagueiro Thiago Heleno reclamou de contusão e pediu para sair. Gil entrou em seu lugar.

No final do primeiro tempo, os cruzeirenses reclamaram de uma falta em cima de Gilberto na entrada da área. O árbitro colombiano Wilmar Roldán, no entanto, e não viu infração no lance e ainda mostrou o cartão amarelo para o meia celeste.

“O juiz não deu, o bandeirinha levantou (a bandeira). Depois ele mudou e falou que tinha dato falta do Gilberto”, disse o goleiro Fábio, em entrevista a Rádio Itatiaia.

No início do segundo tempo, o Cruzeiro selou a vitória e não deu chance para o adversário. Aos 3min, Thiago Ribeiro recebeu na direita e cruzou para o meio da área. Kléber, que vinha em velocidade, desviou de pé direito para o fundo da rede.

Seis minutos depois, Thiago Ribeiro deu nova assistência a Kléber, que saiu livre na área e tocou na saída do goleiro Montoya.

28/03/2010: Democrata - GV 3x1 Cruzeiro

video


Democrata - GV 3x1 Cruzeiro
Motivo: 11ª rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro
Data: 28/03/2010 (domingo)
Local: José Mammoud Abbas, em Governador Valadares-MG
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Gols: Kieza, aos 5 min. do 1º tempo; Alex Santos, a 1 min., Wanderson, aos 16 min., e Celinho, aos 38 min. do 2º tempo
Democrata-GV: Bruno; Alex Santos, Lúcio, Matheus e Magal; Dudu Araxá, Sandro Manoel, Marcel e Wanderson (Beto); Ely Thadeu (Celinho) e Eraldo.
Técnico: Moacir Júnior
Cruzeiro: Rafael; Marcos, Caçapa, Gil e Magalhães; Uchôa, Fabrício (Fernandinho),
Camilo (Anderson Lessa) e Bernardo (Dudu); Wellington Paulista e Kieza.
Técnico: Adilson Batista
Cartões amarelos: Rafael, Wellington Paulista e Magalhães (Cruzeiro); Marcel e Lúcio (Democrata-GV)



O Cruzeiro, que entrou na última rodada com 24 pontos, quatro a mais que Ipatinga e Democrata, segundo e terceiro colocados, respectivamente, não poderia ser alcançado na última rodada. Por isso, terá vantagem até a decisão do campeonato, se chegar até lá, de jogar sempre por dois resultados iguais.

Como primeiro colocado, na próxima fase, o clube celeste enfrentará o oitavo colocado, que é o Uberaba, que foi derrotado pelo América-MG, por 2 a 1. O Villa Nova, que empatou com o Ipatinga por 1 a 1, no Vale do Aço, será o adversário do Democrata.

Assim como já havia feito outras vezes neste Campeonato Mineiro, o técnico Adilson Batista mandou a campo uma time reserva. Com o jogo decisivo diante do Vélez Sarsfield, pela Copa Libertadores, na quarta-feira, no Mineirão, e com sete jogadores suspensos, o Cruzeiro entrou em campo com uma equipe composta por alguns atletas da categoria de base.

Na vitória sobre o América de Teófilo Otoni, na rodada passada, por 2 a 1, jogadores que estavam pendurados aproveitaram para levar o terceiro amarelo, entrando “zerados” na próxima fase. Sete atletas cumpriram suspensão automática: Leonardo Silva, Diego Renan, Henrique, Fabinho, Pedro Ken, Marquinhos Paraná e Kléber.

O goleiro Fábio, o lateral-direito Jonathan, o meia Gilberto e o atacante Thiago Ribeiro estão sendo poupados. Roger segue fora por contusão. Dos atletas considerados titulares, no momento, apenas o zagueiro Thiago Heleno foi relacionado para o jogo com o Democrata, mas ficou no banco. Fabrício e Fernandinho, que estão voltando de lesões, também fazem parte da lista.

O Democrata-GV, que precisava da vitória para se manter na segunda colocação, começou a partida pressionando o Cruzeiro. Logo no primeiro minuto, o time da casa quase abriu o placar com Eraldo, mas Cláudio Caçapa salvou o time celeste, após defesa do jovem goleiro Rafael.

Porém, quem abriu o marcador foi o Cruzeiro. Logo aos 5min, em jogada individual de Kieza, que fez a sua primeira partida como titular, o atacante acertou um chute colocado colocando o time da capital mineira em vantagem.

Após o gol inicial, o Cruzeiro recuou e passou a administrar a vantagem. Mas o Democrata se soltou mais na partida, buscando o gol de empate. Apesar de melhorar em campo, o time da casa, mesmo empurrado pela sua torcida, não conseguiu criar chances de empate.

O time de Governador Valadares levava mais perigo ao gol do jovem goleiro Rafael em cruzamentos, cortados em sua maioria pela defesa celeste. Após a paralisação técnica, acordada entre os técnicos dos dois clubes com o juiz Alicio Pena Júnior, devido ao forte calor, aos 25min, o técnico Adilson Batista arrumou a sua equipe.

E assim o Cruzeiro voltou a equilibrar a partida e a sair mais da defesa. Aos 37min, em jogada individual de Bernardo, que teve boa movimentação, pela ponta esquerda, o jovem lateral-direito Marcos recebeu cruzamento e acertou o travessão de Bruno.

O Cruzeiro voltou com uma novidade no segundo tempo. O técnico Adilson Batista tirou Fabrício e colocou Fernandinho, que voltou a disputar uma partida oficial, o que não acontecia desde 30 de janeiro, quando passou por uma artroscopia no joelho esquerdo.

“Fiquei um bom tempo sem jogar, recuperando de lesão, espero poder jogar bem nesta volta. A felicidade é grande, espero não me machucar mais. Vou procurar fazer um bom segundo tempo”, disse Fernandinho.

Porém, o Democrata voltou melhor na segunda etapa e logo no primeiro minuto, em um chute forte de Alex Santos, que o jovem goleiro Rafael não conseguiu segurar, o time da casa chegou ao empate. Pouco depois, aos 16min, Wanderson desempatou a partida.

Os jogadores cruzeirenses sentiram a virada e passaram a errar muitos passes. Com isso, o time da casa passou a pressionar, buscando o terceiro gol, que confirmaria a vitória. E ele veio com Celinho, que havia acabado de entrar em campo.

24/03/2010:Cruzeiro 2x0 Deportivo Itália

quinta-feira, 20 de abril de 2017



Cruzeiro 2x0 Deportivo Itália
Motivo: quarta rodada da fase de grupos da Copa Santander Libertadores
Data: 24/03/2010 (quarta-feira)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Árbitro: Antonio Arias (PAR)
Público: 17. 237 pagantes
Renda: R$ 263.221,00
Gols: Fabinho, aos 5 min. do 1º tempo; Pedro Ken, aos 24 min. do 2º tempo
Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva e Diego Renan; Fabinho, Marquinhos Paraná (Fabrício), Henrique e Gilberto (Pedro Ken); Thiago Ribeiro (Eliandro) e Wellington Paulista
Técnico: Adilson Batista
Deportivo Itália: Fernández; McIntosh, Maidana, Lopez e Diez (Hernández); Jiménez, Giroletti, Díaz (Félix Cásseres) e Urdaneta; Blanco e Panigutti (Cristian Cásseres)
Técnico: Eduardo Saragó
Cartões amarelos: Diez e Giroletti (Deportivo Itália); Fabinho, Thiago Ribeiro e Henrique (Cruzeiro)





O jogo 
 O Cruzeiro entrou com o objetivo de fazer um gol o mais cedo possível para quebrar a estratégia de retranca do Deportivo Italia e forçar o adversário a sair para o jogo e se abrir. O abafa cruzeirense começou aos dois minutos. Após receber de Thiago Ribeiro, o lateral-direito Jonathan – que completou 200 jogos com a camisa celeste – chutou cruzado e obrigou o goleiro Fernández a defender com os pés. A postura agressiva do Cruzeiro deu resultado aos seis minutos. Thiago Ribeiro cobrou escanteio da direita, no segundo poste. O goleiro Fernández saiu mal, e Fabinho aproveitou para cabecear cruzado. Debaixo da meta, dois venezuelanos tentaram interceptar a bola e não conseguiram. Cruzeiro 1 a 0. Com a necessidade de vencer para seguir com alguma chance matemática de classificação, o Deportivo Italia, em tese, deveria partir para o tudo ou nada. Não foi bem assim. A equipe do técnico Eduardo Saragó, sempre sob o barulho de cerca de cinco mil cornetas distribuídas pelo Cruzeiro, até que procurou atacar, mas sem se descuidar da parte defensiva, mesmo porque o time celeste incomodava. As duas equipes ficaram efetivamente mais agudas nos 15 minutos restantes da primeira etapa. O Deportivo Italia apostou no jogo aéreo, aproveitando as faltas da intermediária e os escanteios. Ofereceu algum perigo. Mas o lance que mais ameaçou foi de falta pela direta, aos 31, em que Giroletti acertou o travessão da meta de Fábio, em bela cobrança. Já o Cruzeiro teve pelo menos três boas chances de fazer o segundo gol ainda no primeiro tempo, uma com Diego Renan, em jogada individual aos 32, e duas com Gilberto, em conclusões defendidas por Fernández, aos 36 e 38. Com 1 a 0 no placar, o time celeste saiu aplaudido por sua torcida para o intervalo. Raposa amplia na etapa final O Cruzeiro demorou a engrenar no segundo tempo. O Deportivo Italia esteve mais presente no ataque, sempre investindo no jogo aéreo. A morosidade cruzeirense chegou a irritar parte da torcida, que até esboçou vaias em alguns setores do estádio. Mas o mais irônico estava por vir. Aos 23 minutos, o técnico Adilson Batista sacou Gilberto para a entrada de Pedro Ken. A alteração não foi bem recebida pelos quase 20 mil torcedores presentes ao Mineirão. Alguns até ensaiaram o grito de “burro” para o treinador. A reação se mostraria precipitada pouco depois. Bastaram dois minutos para Pedro Ken provar que Adilson estava certo. O jogador mostrou oportunismo e aproveitou um rebote para concluir e fazer 2 a 0. Os celestes se redimiram e gritaram: “Adilson, Adilson”. Aos 30, foi a vez de o goleiro Fábio ter o nome gritado no Mineirão. Ídolo da torcida, ele fez por merecer a ovação, ao sair nos pés de Cásseres para evitar o gol do Deportivo Italia. O terceiro gol cruzeirense não saiu. Mas os últimos minutos valeram por algumas situações. Uma delas foi um cruzamento de letra feito pelo atacante Thiago Ribeiro. A entrada do volante Fabrício, que não jogava há quatro meses, também foi celebrada pelos torcedores. No fim das contas, não chegou a ser um espetáculo do Cruzeiro. Mas a vitória foi importante, melhorou a condição da equipe no grupo e foi festejada. Merecidamente...

12/03/2010:Cruzeiro 2 x 1 América de Teófilo Otoni

video


Cruzeiro 2x1 América - TO
Motivo: 10ª rodada do Campeonato Mineiro
Data: 12003/2010 (domingo)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Árbitro: Joel Tolentino Damata Júnior (MG)
Público: 7.671 pagantes
Renda: R$ 109.589,85
Gols: Chrys, aos 26 min. do 1º tempo; Roger, aos 14 min., e Kleber, aos 35 min. do 2º tempo
Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva e Diego Renan (Guerrón); Fabinho, Henrique, Marquinhos Paraná e Gilberto (Roger) (Pedro Ken); Kleber e Welington Paulista
Técnico: Adilson Batista
América-TO: Fábio Noronha; Luís Henrique (Manu), Rodrigo Sena e Jadson; Osvaldir, Pablo, Denis, Diego Palhinha (Eraldo) e Júlio César; Chrys e Diogo Oliveira (Stefan)
Técnico: Gilmar Estevam
Cartões amarelos: Kleber, Fabinho, Diego Renan, Leonardo Silva, Marquinhos Paraná, Henrique, Pedro Ken e Thiago Heleno (Cruzeiro); Jadson, Denis, Pablo e Júlio César (América-TO)



Resumo do jogo
Sobrou espaço. Preguiça também. Os 20 minutos iniciais do primeiro confronto da história entre Cruzeiro e América de Teófilo Otoni foram de dar sono. Apesar de ter liberdade para criar, o time de Adilson Batista se mostrou preso, produziu pouco e irritou muito o torcedor. Duas boas chegadas ao ataque, no primeiro minuto, deram uma falsa impressão da postura celeste. O volante Marquinhos Paraná e o zagueiro Leonardo Silva ficaram na cara do gol e falharam. 

Mesmo com o time praticamente completo (só Thiago Ribeiro foi poupado), o Cruzeiro se saiu muito mal. Irreconhecível. No meio, Gilberto, recuperado de lesão, voltou e pouco apareceu. Kléber trombou com os zagueiros do América um punhado de vezes e mais nada. Com Wellington Paulista não foi diferente. Nas laterais, Jonathan e Diego Renan praticamente não subiram. Adilson Batista se queixou de tanta inoperância do banco de reservas. 

Menos afobado, o América se permitiu avançar. Ousou um pouco mais e imprimiu velocidade nos contra-ataques. A Raposa aceitou e pagou por isso. Aos 26, numa investida rápida, os visitantes surpreenderam. O atacante Chrys, filho do ex-atacante Aílton, que defendeu Flamengo, Fluminense e Grêmio, avançou com liberdade até a grande área celeste, recebeu ótimo lançamento e bateu no canto esquerdo de Fábio. O gol só fez aumentar a insatisfação dos cruzeirenses: 1 a 0. 

Erros de passe, falta de concentração e disposição abaixo da média sobraram ao Cruzeiro. Mesmo atrás no placar. Com exceção de um lance, aos 38, a apatia predominou. Gilberto foi lançado na entrada da área por Jonathan, superou três zagueiros na velocidade, mas bateu nas pernas do goleiro Fábio Noronha. O América até se aproximou do segundo gol, mas a derrota parcial por placar mínimo foi o bastante para que os celestes fossem ao intervalo sob vaias.
Talento individual conta muito.
Não dá para saber o tamanho da bronca, se é que houve uma. Mas Adilson Batista tomou providências no vestiário para despertar o time dele. A Raposa voltou ligada para o segundo tempo, com boa vontade. Nos dois primeiros minutos, Gilberto e Wellington Paulista pararam no goleiro Fábio Noronha. O meia recebeu cruzamento de Jonathan da direita e cabeceou no cantinho, mas o camisa 1 foi buscar. Logo depois, o atacante recebeu na área, girou e bateu de esquerda. Noronha estava atento. 

Apesar da pressão, Adilson decidiu renovar o fôlego. Aos dez minutos, Roger substituiu Gilberto, e Guerrón, recuperado de lesão, entrou na vaga do lateral-esquerdo Diego Renan. Com três atacantes, o abafa só aumentou, e as alterações deram mais vigor ao setor ofensivo do Cruzeiro. Aos 14, Roger recebeu na entrada da área, se livrou da marcação com um drible de esquerda e bateu com a direita. Chute rasteiro e forte: 1 a 1. O meia comemorou ao lado da mascote Raposão, que desta vez se preveniu para não perder a cabeça da fantasia, como ocorreu no clássico contra o Atlético-MG, no mês passado. Roger ficaria só mais dez minutos em campo. Logo após o gol, ele torceu o tornozelo esquerdo, voltou, mas não conseguiu suportar as dores. Pedro Ken o substituiu.
O time melhorou como um todo. Kléber começou a aparecer, especialmente pela ponta esquerda. Saiu da área para tentar tabelar com Wellington Paulista e imprimiu velocidade. Incomodou a zaga adversária até conseguir aprontar. Aos 36, buscou jogo mais uma vez, só que preferiu chutar. A bomba de esquerda entrou no ângulo de Fábio Noronha: 2 a 1. Sem força, o América não conseguiu oferecer perigo nos últimos minutos. No fim, o talento pesou.   
Oito jogadores do Cruzeiro receberam cartão amarelo na partida: Kléber, Fabinho, Diego Renan, Leonardo Silva, Marquinhos Paraná, Henrique, Pedro Ken e Thiago Heleno. Com exceção de Thiago Heleno, todos estão suspensos para a próxima rodada e entrarão na fase seguinte zerados. 

19/04/2017: Cruzeiro 1x2 São Paulo




Cruzeiro 1x2 São Paulo
Motivo: jogo de volta da segunda fase da Copa do Brasil
Estádio: Mineirão
Data: quarta-feira, 19 de abril
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa/GO) e Bruno Raphael Pires (Fifa/GO)
Pagantes: 32.353
Presentes: 36.192
Renda: R$ 1.105.337,00
Gols: Thiago Neves, aos 14min do 2ºT (CRU); Lucas Pratto, aos 14min do 1ºT, Gilberto, aos 33mn do 2ºT (SPFC)
Cruzeiro: Rafael; Mayke (Henrique, aos 39min do 2ºT), Leo, Manoel (Caicedo, aos 11min do 2ºT) e Diogo Barbosa; Hudson, Ariel Cabral, Rafinha e Thiago Neves; De Arrascaeta (Alisson, aos 36min do 2ºT) e Rafael Sobis.
Técnico: Mano Menezes
São Paulo: Renan Ribeiro; Bruno (Jucilei, aos 21min do 1ºT), Maicon, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; João Schmidt, Wesley, Cícero (Gilberto, aos 21min do 2ºT) e Cueva (Thomaz, aos 20min do 2ºT); Moratto e Lucas Pratto. Técnico: Rogério Ceni
Cartões amarelos: Junior Tavares, aos 27min do 1ºT. Rodrigo Caio, aos 13min, Wesley, aos 26min do 2ºT (SPFC)



14/03/2010: Cruzeiro 3x2 América-MG

segunda-feira, 17 de abril de 2017




Cruzeiro 3x2 América-MG
Motivo: 9ª rodada do Campeonato Mineiro
Data: 14/03/2010 (domingo)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Árbitro: Cleisson Veloso Pereira (MG)
Público: 12.111 pagantes
Renda: R$ 187.625,47
Gols: Wellington Paulista aos 45 min. do 1º tempo; Leandro Ferreira aos 13 min.,  Kieza aos 23 min., Fabinho aos 40 min. e Fábio Júnior aos 45 min. do 2º tempo
Cruzeiro: Fábio; Léo Fortunato (Kieza), Cláudio Caçapa e Gil ; Marcos (Magalhães), Fabinho, Uchoa, Bernardo e Diego Renan; Wellington Paulista e Eliandro (Leandro Lima).
Técnico: Adilson Batista
América - MG: Gléguer; Gabriel, Preto e Fabrício (Joãozinho); Danilo, Dudu, Leandro Ferreira, Moisés (Zé Rodolpho), Irênio (Luciano) e Rodrigo; Fábio Júnior
Técnico: Mauro Fernandes
Cartões amarelos: Fabrício, Dudu e Danilo(América-MG); Diego Renan, Marcos, Fabinho, Uchoa,  Leandro Lima e Wellington Paulista (Cruzeiro)






16/04/2017: América 1x1 Cruzeiro

domingo, 16 de abril de 2017



América 1x1 Cruzeiro
Motivo: Jogo de ida da semifinal do Campeonato Mineiro
Data: 16/04/2017 (domingo)
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte-MG
Árbitro: Igor Júnio Benevenuto – MG (FIFA)
Público: 4.429
Renda: R$ 76.955,00
Gols: Messias, aos 16 minutos, e Thiago Neves, aos 22 minutos do segundo tempo
América-MG: João Ricardo; Auro, Messias, Rafael Lima e Ernandes; Gustavo Blanco, Juninho, Gerson Magrão (Mike) e Renan Oliveira (Ruy); Felipe Amorim (Alex Silva) e Hugo Almeida. Técnico: Enderson Moreira
Cruzeiro: Rafael; Mayke (Henrique), Léo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson, Ariel Cabral, Rafinha (Ábila) e Thiago Neves; De Arrascaeta (Alisson) e Rafael Sóbis.
Técnico: Mano Menezes
Cartões amarelos: Ernandes e Renan Oliveira (América-MG)

+Fotos do jogo




13/07/201: São Paulo 0x2 Cruzeiro

sexta-feira, 14 de abril de 2017




São Paulo 0x2 Cruzeiro
Motivo: Jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil
Data: 13/04/2017 (quinta-feira)
Local: Morumbi, em São Paulo-SP
Árbitro: Anderson Daronco – RS (FIFA)
Público: 43.662
Renda: R$ 1.065.916,00
Gols: Lucas Pratto (contra), aos 16 min. e Hudson, aos 24 min. do 2º tempo
São Paulo: Renan Ribeiro; Buffarini (Araruna), Maicon, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes e Cícero (Gilberto); Wellington Nem (Thomaz), Lucas Pratto e Luiz Araújo.
Técnico: Rogério Ceni
Cruzeiro: Rafael; Mayke, Léo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson (Lucas Romero), Ariel Cabral, Rafinha; Thiago Neves (Alisson), De Arrascaeta e Ramón Ábila (Raniel).
Técnico: Mano Menezes
Cartões amarelos: Ariel Cabral e Ramón Ábila (Cruzeiro); Jucilei e Thiago Mendes (São Paulo)

+Fotos do jogo





09/04/2017: Cruzeiro 2x0 Democrata - GV

segunda-feira, 10 de abril de 2017




Cruzeiro 2x0 Democrata - GV
Motivo: 11ª rodada do Campeonato Mineiro
Data: 09/04/2017 (domingo)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Árbitro: Antônio Marcio Teixeira da Silva - MG
Público: 13.542 pagantes; 16.864 presentes
Renda: R$ 289.876,00
Gols: Dedé, aos 17 minutos do primeiro tempo, e Ramón Ábila, aos 27 minutos do segundo tempo
Cruzeiro: Fábio; Mayke, Dedé, Kunty Caicedo e Bryan; Lucas Romero (Nonoca), Lucas Silva e Fabrício; Marcos Vinícius (Rafinha), Elber e Ramón Ábila (Raniel).
Técnico: Mano Menezes
Democrata: Alencar; Alan Silva (Guilherme Cavalcante), Wellington, Gerley e Vitinho; Glaydson, Matheus Roldan, Lima (Andrey); Jefferson Tanque, Lourival (João Figueiredo) e Lucas Pinheiro. Técnico: Pereira
Cartões amarelos: Lucas Romero e Ramón Ábila (Cruzeiro); Lima e João Figueiredo (Democrata)
Cartão vermelho: Gerley (Democrata)

+Fotos




27/08/2003: Cruzeiro 1x1 São Caetano

sábado, 8 de abril de 2017



Cruzeiro 1x1 São Caetano
Motivo: 2ª rodada da primeira fase da Copa Sul-Americana
Data: 27/8/03
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 2.117 pagantes
Renda: R$10.809,00
Árbitro: Wágner Tardelli (Fifa-RJ)
Gols: Márcio Nobre, aos 23 minutos, Zé Carlos, aos 39 minutos do primeiro tempo.
Cruzeiro: Gomes; Maicon, Gladstone, Edu Dracena e Leandro; Jardel, Felipe Melo, Sandro (Alex) e Alex Dias (Alex Alves); Márcio Nobre (Aristizábal) e Mota.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
São Caetano: Silvio Luiz; Dininho, Gustavo e Serginho; Marlon, Marcelo Mattos, Mineiro, Capixaba e Zé Carlos (Ângelo); Marcinho (Marcos Aurélio) e Adhemar (Varley).
Técnico: Tite.
Cartões Amarelos: Aristizábal, Leandro (Cruzeiro); Adhemar, Marcinho (São Caetano)



23/08/2003: Goiás 1x0 Cruzeiro



Goiás 1x0 Cruzeiro
Data: 23/8/03
Motivo: 28ª Rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia
Público: 26.277 pagantes
Renda: R$ 232.187,50
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (SP)
Gols: Dimba, aos 37 minutos do primeiro tempo.
Goiás: Rodrigo Calaça; Cléber, Fabão, Renato e Esquerdinha; Simão, Grafite (Wando), Marabá (Gil Baiano) e Josué; Araújo e Dimba.
Técnico: Cuca
Cruzeiro: Gomes, Maurinho, Cris, Edu Dracena e Sandro; Augusto Recife, Jardel (Thiago), Felipe Melo e Alex; Márcio (Mota) e Aristizábal (Alex Dias).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Cartões amarelos: Edu Dracena (Cruzeiro); Esquerdinha (Goiás)
Cartão vermelho: Edu Dracena (Cruzeiro)

Goiás vence o Cruzeiro por 1 a 0

Uma declaração de Felipe Melo gerou polêmica antes da partida. O volante disse que o Cruzeiro iria “atropelar”, mas o feitiço virou contra o feiticeiro. Se não quis provocar, como esclareceu, o jogador conseguiu motivar o Goiás, que bateu a Raposa por 1 x 0, neste sábado, no Serra Dourada, pelo Campeonato Brasileiro.

Antes da bola rolar, Felipe Melo tentou minimizar a declaração feita na véspera, destacada pela imprensa goiana: “Vamos atropelar o Goiás”, teria dito o volante. Mas a torcida e os jogadores do Goiás encararam como provocação, e o troco veio dentro de campo.

Com a derrota, o Cruzeiro perdeu a liderança do Brasileiro para o Santos, que venceu o Flamengo, por 2 x 1, também neste sábado, na Vila Belmiro, que foi a 54 pontos. A Raposa permanece com 52 pontos, agora na vice-liderança, que está ameaçada pelo São Paulo, que pega o Vasco, neste domingo, em São Januário. Se vencer, passa a Raposa.

O Goiás chegou a 34 pontos na tabela de classificação e subiu para a 16ªposição, sem contar a rodada deste domingo. O time goiano completou 13 partidas seguidas sem perder no Brasileiro.

No forte calor de Goiânia, a partida começou em ritmo lento, com as equipes cautelosas em campo. Até a metade do primeiro tempo, os dois times finalizaram apenas um vez cada um, mas sem grande perigo para os goleiros. Somente aos 25min foi que o Goiás esquentou o jogo, com uma cabeçada perigosa de Marabá, que passou rende à trave do Cruzeiro.

A equipe da casa motivou-se e foi para cima dos visitantes, obrigando o goleiro Gomes a fazer duas defesas importantes. Aos 36min, numa bola espirrada na defesa mineira, Dimba arrancou livre com a bola, mas foi atropelado por Edu Dracena, na grande área. O árbitro paulista Edílson Pereira de Carvalho marcou pênalti e ainda expulsou o zagueiro, que havia recebido o cartão amarelo.

O próprio Dimba cobrou bem, no canto direito de Gomes, e abriu o placar no Serra Dourada, marcando seu 20° gol e se mantendo na artilharia do Brasileiro. 

Atordoado pelo gol e com a perda de Edu Dracena, o time do Cruzeiro por pouco não levou o segundo ainda na primeira etapa, mas conseguiu se segurar. No caminho do vestiário, Cris e Gomes criticam o comportamento da equipe, que, segundo eles, não mostrou vontade. “O time está sem motivação”, reclamou o zagueiro.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou com o zagueiro Thiago, no lugar do volante Jardel, para recompor a zaga. Mas foi o Goiás que retornou bem na partida e partindo para cima do adversário. O técnico Wanderley Luxemburgo decidiu, então, mudar o ataque mineiro logo aos 12min. Entraram Mota e Alex Dias e saíram Aristizábal e Márcio, que nada produziram.

Mas o Cruzeiro pouco criou, mesmos com as mudanças. O time mineiro errou muitos passes e, por pouco, não levou mais do Goiás, que teve chances para ampliar o placar.